Categoria Consultoria E-commerce

Não consigo vender

Não consigo vender

Índice [Ocultar] Não consigo vender, Vender na internet se tornou um nicho de negócio promissor, muitas empresas apostaram nas vendas online. Estas empresas atingiram novos nichos […]

O futuro do varejo não é o que você pensa.

Comércio eletrônico: como tornar seu produto chamativo?

O comércio eletrônico vem sendo descoberto pela grande maioria das pessoas.
Com a pandemia, muitos tiveram que ceder e utilizar a internet como maneira de sobreviver a lojas físicas fechadas.

Uma outra parcela teve que ceder, ao comprar seu primeiro produto.
É sabido que, para muitos, comprar na internet não é algo simples e que é preciso haver confiança.
Segundo a NZN Intelligence, 74% dos consumidores preferem comprar na internet. Porém, para contrastar com isto, 26% preferem comprar no estabelecimento físico. Além disso, destes 26%, 40% deles não compram por falta de confiança (para expor seus dados bancários). Os outros têm medo que o produto não seja enviado, que haja enganação por parte do pagamento e, por fim, os que têm receio que os preços não sejam tão bons assim.

Fato relevante é que estas más impressões poderiam ser contornadas ou, ao menos, suavizadas com uma página convidativa e com um produto que informe tudo o que o consumidor precisa.

A segurança pode ser construída basta apenas que uma chance seja dada e esta chance só virá, se a sua loja virtual transparecer isto.

Um layout convidativo: um destaque no comércio eletrônico.

O início da loja virtual se dá pela sua home.
Ali estarão todos os produtos que merecem destaque, seja por uma determinada categoria em promoção, seja pelos produtos em lançamentos ou, ainda, pelos produtos mais conhecidos.

Os preços devem ser atraentes, são eles que terão o poder de fazer com que o consumidor permaneça, ou não.
A maioria de nós já fica desanimado quando entra em uma loja virtual e percebe que os valores estão bem acima daquilo que você planejou.

A barra de busca

Quanto mais informações forem disponibilizadas para um determinado produto, maiores serão as chances de encontrá-lo no seu site. É importante que a barra de busca esteja em local visível e que ela tenha inúmeras possibilidades de pesquisa.

Em alguns sites, esta barra vem com a função de auto preencher, então você inicia escreve o nome do produto e o sistema auto completa com as opções cadastradas em seu site.
Use palavras chaves certeiras para que a função seja a mais completa possível.

Enfim, a melhor apresentação para o comércio eletrônico

Uma vez na página do produto, é importante dar atenção aos seguintes detalhes:

Foto

A foto do produto deve ser bem definida. Dê preferência para fotos reais do seu produto, evite buscar fotos na internet – até porque elas possuem direitos autorais, em sua maioria.
Tire fotos com uma câmera de boa qualidade e com boa iluminação. Outro ponto importantíssimo é: tire as fotos de diversos ângulos e acima de tudo: seja honesto.
Muitos comerciantes tiram fotos de seus produtos, usando alguns ângulos que dão a impressão do produto ter um tamanho, por exemplo, bem maior que o que de fato tem.

Opções

Procure ser claro quanto as opções daquele produto.
Lembre-se que a compra é feita via comércio eletrônico e todas as informações devem estar disponíveis
Informe as cores e tamanhos disponíveis. As dimensões, o peso… procure deixar seu cliente informado ao máximo, lembre-se que a compra na internet muitas vezes é feita às escuras.

Informações

Este ponto é crucial para a compra do seu produto.
Coloque todas as informações pertinentes ao produto,além das informações técnicas, informe o tempo de garantia, se existe algum tipo de pós compras… enfim, procure deixar tudo claro para que seu cliente se sinta seguro e compre sem maiores hesitações.

Fiquem ligados porque em breve falaremos sobre como o frete impacta nas suas vendas.

Já conhece o nosso site? Clique aqui e seja direcionado.

Não consigo vender

Índice [Ocultar]

Não consigo vender, Vender na internet se tornou um nicho de negócio promissor, muitas empresas apostaram nas vendas online. Estas empresas atingiram novos nichos de mercado e tiveram que se adequar às mudanças – que ocorrem a passos largos.

Ocorre que dentro deste percentual existem as lojas que simplesmente não alavancam seu negócio. Não encontram seu potencial, essa estremecida termina afetando quem gere o negócio e, muitas vezes, o jogo de cintura necessário para reverter o jogo não vem e então ouvimos a afirmação; não consigo vender…

Alguns pontos são necessários para quem quer vender online. São necessários cuidados e análises contínuas, a adequação no mercado deve ser quase que instantânea e isso significa está constantemente em busca de informações e diferenciais para o seu negócio.

Pensando nessa necessidade (e nessa pergunta recorrente), decidimos listar alguns erros comuns em quem inicia as vendas na internet.
Claro que não existe uma fórmula secreta para o sucesso, mas sabemos que a disciplina, o erro e a persistência são passos comuns em que se aventura no novo.
É preciso estar sempre atento e aprendendo constantemente, mesmo com as falhas.
Vamos conhecer algumas?

Não consigo vender

Nada de plano de negócio.

Pois é, tal qual uma loja física é necessário que, antes de abrir um negócio, haja um plano para conduzi-lo.
Na internet isso funciona de forma diferente. Além da análise do produto que você vende, dentro do mercado online, é necessário fazer uma análise do seu consumidor.

É ai que entram as personas. Segundo a Wikipédia personas são personagens fictícios criados para representar os diferentes tipos de usuário dentro de um alvo demográfico.
Ou seja, são eles que representam seu público e com base neles o marketing monta estratégias para atingir outras pessoas que possuam as mesmas características da sua persona.

O frete é importante?

Sim, muito.O frete tem um fator decisivo na compra online. Muitos consumidores deixam de comprar o produto desejado caso considerem o valor do frete abusivo ou acima do que ele considera justo.

Campanhas com frete grátis ou frete fixo costumam agradar. Cidades mais distantes geralmente necessitam de transportadoras.
É importante avaliar os contratos das empresas que oferecem frete e encaixá-los dentro do seu tipo de negócio.

O site é como a sua sala de estar

Algumas pessoas pesquisam o mercado, o frete, mas pecam na montagem da loja virtual.
O design tem que ser atraente e dar credibilidade ao negócio. Um design simples e conceitual transmite a mensagem que você quer passar e não confunde o seu público.

Procure se afastar da tela do computador e feche levemente os olhos, a visão (ao olhar para seu site) deve ser limpa e bem dividida.
Não use muitos banners, procure disponibilizar as informações de maneira organizada. Tenha, atualizado, os guias de como comprar, a política de frete e de troca, as informações sobre a loja virtual e os valores que vocês querem transparecer.

Selos de segurança, como o do e-Bit também ajudam na credibilidade. Para obtê-los basta entrar em contato com a empresa que o fornece e preencher os requisitos que eles determinam.

Um site seguro, um atendimento humano

O seu site tem que transmitir confiança. Infelizmente, algumas pessoas usam de má fé na internet, e por isso é preciso mostrar ao seu cliente que sua loja virtual é um ambiente seguro, principalmente nas informações que são repassadas nele (tais como número de cartão de crédito, conta bancária e etc).

Esteja disponível quando o cliente precisar, muitas vezes é você quem vai dar o “empurrãozinho” que falta para o seu cliente decidir pela sua loja virtual.
Procure enaltecer as qualidades e os diferenciais do seu produto e explicar (de forma clara e objetiva).

Observe que são algumas atitudes simples que fazem diferença.
Lembre-se sempre que, em um ambiente onde a demanda é alta, o que traz destaque são os detalhes, os diferenciais. Aposte neles. 🙂

Conheça o nosso site institucional e os serviços que oferecemos. Clique aqui para ser direcionado.

O comércio eletrônico e a pandemia.

O comércio eletrônico ganhou notoriedade  nos últimos anos, porém nem todos os comerciantes aderiram à novidade.
Mesmo assim, em 2019 o comércio eletrônico faturou cerca de R$ 75,1 bilhões, com uma alta de 22%em relação ao ano anterior (sem contar a inflação), os dados são da NeoTrust.

Ocorre que em meio a tudo isso veio uma pandemia, situação – até então – vivida somente nas aulas de história e com ela a recomendação: distanciamento social.
Assim todos foram pegos de surpresa, inclusive pequenos e grandes empreendedores.

O distanciamento impôs uma nova forma de vender e, para muitos, o comércio eletrônico foi a solução.

O papel do comércio eletrônico

Segundo a Revista Época, desde o início da pandemia, na comparação de abril com o mês anterior, março, o volume de vendas via comércio eletrônico teve um aumento de 30%.
O comércio ganhou cerca de 4 milhões de novos clientes.

Ademais, dentro deste cenário, algumas áreas fizeram mais sucesso.
Um levantamento da Konduo apontou que as áreas que mais cresceram foram:

. Brinquedos – com um aumento de 643%

. Supermercados – com um aumento de 448%

. Artigos esportivos – com um aumento de 187%

. Farmácias – com um aumento de 74%

. Games Online  – com um aumento de 58%

. Entregas – com um aumento de 55%
A Compre&Confie estima que haverá um aumento de 20% nas vendas pelo comércio eletrônico, em relação ao ano de 2019.
Os números são expressivos, porém a urgência e  a necessidade impuseram que tanto consumidores quanto lojistas tivessem familiaridade com a ferramenta

Comércio eletrônico: use a seu favor

Se olharmos mais uma vez, os setores que tiveram crescimento em meio a pandemia, notamos que o que todos eles têm em comum é: suprir a necessidade do momento.

E o que aprendemos com isso?
Alguns negócios só terão sucesso em meio a crise se entenderem que, mais que produtos, eles resolvem necessidades. Ele oferece escolha e “acalento” em tempos incertos.

Ora, os brinquedos suprem a necessidade de pais e filhos, em amenizar o período.
Assim, supermercados, farmácias e entregas online vieram das necessidades básicas, aquelas que não dá pra abrir mão.
Artigos esportivos ganharam um espaço maior ao sol por conta das academias, clubes e crossfits fechados.
E,por fim, os games online trazem um combo infalível: companhia (pois muitos jogadores jogam em grupos) e diversão.

Aquele empresário que entender que o seu produto ajuda e agrega a necessidade, terá a receita certa para o sucesso.

Quebra de paradigmas

Bem maior que a necessidade, é a quebra de paradigmas, é ter que aceitar algo que, até então, era impensado e mais: em muitos casos todo esse processo aconteceu de modo instantâneo, portanto tanto para lojistas quanto para compradores, o aprendizado precisou correr contra o relógio.

Uma certeza é fato, o comércio eletrônico abriu horizontes e potencializou resultados.
Muito se fala que após a pandemia surgirá uma forma de viver, e uma das coisas que certamente irá continuar dentro do novo contexto é o comércio eletrônico.

Conheça nosso site e deixe-nos ajudar a montar o seu negócio.

Como saber em que redes sociais sua marca deve ter perfis

Como saber em que redes sociais sua marca deve ter perfis, Atualmente, o Brasil possui 71% de sua população conectada à internet, o que representa 150,4 milhões de indivíduos. Os dados são do relatório Data Reportal e mostram também que a influência das redes sociais na vida das pessoas é grande: 140 milhões de brasileiros são usuários ativos desses sites e aplicativos.

Nesse cenário, se você pensa em como criar uma loja virtual ou já tem seu e-commerce, precisa considerar sua presença nas redes sociais. Não é por isso, no entanto, que você deve sair criando páginas e perfis em todas elas.

Para que sua estratégia possa ser bem executada, é preciso analisar bem em quais redes sociais sua empresa vai estar. Por isso, ao longo deste artigo, vamos conhecer as principais características de cada uma, além de fatores a se considerar antes de, finalmente, fazer sua escolha. Vamos lá?

Características das principais redes sociais

Os brasileiros, conforme o estudo Data Reportal, possuem, em média, 9,4 contas nas diferentes redes sociais. É uma diversidade grande, então vamos conhecer algumas das principais redes.

YouTube

Utilizado por 96% dos brasileiros entre 16 e 64 anos, o YouTube é a rede social de vídeos. Os formatos encontrados no site são os mais variados, desde pequenas pílulas de 30 segundos até vídeos ao vivo de cursos, com algumas horas de duração.

Facebook

Com 120 milhões de usuários no Brasil, o Facebook é a segunda rede social mais utilizada por aqui. Seu público é composto por 54,1% de mulheres e 45,9% de homens.

Entre as funcionalidades que o Facebook permite, estão a criação de uma página da sua marca, a postagem de fotos, vídeos e enquetes, além da publicação de anúncios.

Apesar de ter perdido 10 milhões de usuários no último ano, o Facebook ainda fica atrás apenas do YouTube no Brasil.

Instagram

Inicialmente o queridinho do público jovem, o Instagram vem conquistando cada vez mais o público e prova a influência das redes sociais na vida das pessoas. Hoje, são 77 milhões de usuários que podem postar e ver fotos, vídeos e Stories.

Além disso, existe a possibilidade de vender diretamente pelo Instagram por meio da função Shopping. Com ela, você pode expor seus produtos na rede social, além de colocar as etiquetas de preço e links para sua loja virtual pelo próprio sistema.

Dependendo da plataforma de e-commerce que você utilizar, é possível integrar sua conta do Instagram à sua loja virtual. Assim, é possível gerir todos os pedidos em um mesmo painel.

Twitter

O Twitter é uma rede social bastante dinâmica, em que as postagens, de 280 caracteres, devem acompanhar as tendências do momento. Esse é um ótimo ambiente para estar em contato direto com os potenciais clientes.

No Brasil, são 12,15 milhões de usuários, sendo que 62,9% são homens. Conforme informações da Omnicore Agency, 37% dos tuiteiros no mundo têm entre 18 e 29 anos e 25%, de 30 a 49.

LinkedIn

Conhecido como a rede social profissional, o LinkedIn conta com 39 milhões de brasileiros cadastrados. Em geral, sua utilização é recomendada para negócios B2B (Business to Business, ou seja, que vendem produtos para outras empresas), além da venda de cursos, por exemplo.

Pinterest

O Pinterest é uma rede social muito focada em imagens. Por isso, ele é recomendado para empresas cujos produtos têm bastante apelo visual e cujas fotos podem inspirar as pessoas. No Brasil, ele não tem tanta força, mas 40% dos usuários da internet entre 16 e 64 anos costumam utilizá-lo.

TikTok

Rede social do momento, especialmente na China e nos Estados Unidos, o TikTok tem como principal característica ser um app para postagem de vídeos curtos e divertidos, como dublagens e danças. Por aqui, ainda não é tão utilizado, com 14% de penetração entre o público de 16 a 64 anos, mas devemos observar um crescimento dessa rede social nos próximos anos.

O que considerar antes de escolher

Agora que já conhecemos algumas das principais características de cada uma das principais redes sociais, hora de saber que fatores você deve avaliar antes de tomar sua decisão. Afinal, apesar de parecer uma boa ideia estar em todos os lugares, é preciso pensar seu plano de marketing estrategicamente.

Trabalho demandado

Melhor do que estar em todas as redes sociais sem seus perfis ativos, é conseguir utilizar muito bem sua conta em uma delas. Portanto, considere o trabalho e os custos que gerir bem uma conta pode te demandar.

Você deve levar em conta não apenas os recursos necessários para as postagens, mas também para produção e edição de fotos vídeos, além da análise de métricas das suas iniciativas. Arque apenas com aquilo que você e sua equipe podem dar conta!

Comportamentos da sua persona

Outro elemento que vai nortear a escolha das suas redes sociais é o perfil da sua persona, ou seja, do seu público. Se seu público é composto, por exemplo, de jovens que se interessam pelo universo pop, o Twitter pode ser uma boa rede social para seu negócio. Já o LinkedIn, nesse caso, pode não ser uma boa ideia.

Por isso, para vender pela internet, busque conhecer seu público a fundo, incluindo seus hábitos na internet, suas redes sociais preferidas e tipos de conteúdo mais consumidos. Assim, você consegue direcionar seus esforços em uma estratégia que, certamente, vai atingir seu potencial consumidor.

Funcionamento de cada rede social

Por fim, não adianta ter contas em redes sociais com dinâmicas totalmente diferentes e postar o mesmo conteúdo em todas elas. Isso passa uma imagem de pouco cuidado em suas publicações.

Por isso, é preferível que você esteja em menos redes, mas entenda muito bem o funcionamento das que você criar perfis. Assim, suas postagens terão maiores chances de engajamento, pois estarão de acordo com os interesses dos usuários.

Conclusão

Agora que já sabemos como a influência das redes sociais na vida das pessoas é grande, as características das mais importantes no cenário brasileiro e o que você precisa observar em sua estratégia, já sabe como escolher onde criar seus perfis. Então, está pronto para colocar a mão na massa?

Informações da autora

Victoria Salemi é a editora responsável pelas parcerias de conteúdo da Nuvemshop, a maior plataforma de comércio digital da América Latina, com mais de 30 mil lojas ativas. Formada em Jornalismo, ama escrever e tornar assuntos complicados acessíveis a todos!

E-mail Gravatar: victoria.salemi@nuvemshop.com.br

Contato com o cliente via telefone, é válido?

Contato com o cliente via telefone é válido? a internet surgiu e transformou o mercado e a forma se comunicar com o seu cliente. Se antes o contato era mais pessoal, por telefone, hoje tudo é negociado através de e-mails e mensagens.
Ocorre que de todo este processo,  a tarefa mais difícil é conquistar este cliente.

Os sites e lojas virtuais dão cada vez mais autonomia a quem navega. Seja por meio de botões que auxiliam com dúvidas frequentes, ou por meio da descrição do serviço oferecido, chats com vendedores  e, até, com vídeos que mostram como o produto ou o serviço funciona.
Mesmo assim, com esta quantidade de facilidades, alguns clientes ainda são resistentes à compra na internet.

E faz sentido.

Veja, muitas vezes o produto adquirido nunca chegou a ser, de fato, visto ao vivo. Do vestuário ao eletrodoméstico, sempre haverá uma pontinha de dúvida, e isso não é apenas em quem está iniciando suas compras na internet,  até em quem já compra há algum tempo tem lá suas dúvidas.

Um contato mais certeiro, da loja com o cliente, ajuda no processo da venda e dá a segurança que o cliente precisa na hora de decidir onde vai comprar.
E se esse contato fosse rápido? E se, além disso, houvesse um vendedor para sanar todas as dúvidas naquele momento?

É isso?

Sim! O empurrãozinho que faltava para o seu cliente prosseguir com a compra está na facilidade de escolher o momento apropriado para tirar todas as dúvidas a respeito de sua compra.

E isso existe?

Existe uma empresa que oferece este tipo de serviço diferenciado: a Callpage.
Uma plataforma digital que permite que você integre o serviço com sua loja virtual de forma simples, rápida e eficiente. Toda vez que houver um visitante aparecerá um pop up oferecendo a ligação. Em até 28 segundos seu visitante é conectado com a sua equipe de vendas e, a partir deste momento, a visita tem grandes chances de se converter em vendas.

Além disso, os diferenciais oferecidos vão desde a customização da pop up, de modo que ela mantenha a identidade visual de sua empresa, à integração com o Google Analytics e a opção do seu visitante agendar um horário, caso não haja atendimento naquele momento.
Um outro ponto é que após o contato via telefone o visitante recebe um SMS com informações sobre a ligação e quem o atendeu.

Contato com o cliente via telefone, é válido?

Por que isso é um diferencial?

Porque um atendimento humano personalizado, na hora certa, por pessoas especializadas faz muita diferença, em muitos momentos seu visitante quer um contato por telefone. Além disso, ajuda a entender a forma como seu público se comporta, suas preferências, suas sugestões enfim…  gerando dados e informações que vão oferecer insights para garantir mais assertividade para suas estratégias de marketing e captação de leads. 

Quer conhecer mais? Clique aqui e teste grátis.

Não consigo vender

Índice [Ocultar]

Não consigo vender, Vender na internet se tornou um nicho de negócio promissor, muitas empresas apostaram nas vendas online. Estas empresas atingiram novos nichos de mercado e tiveram que se adequar às mudanças – que ocorrem a passos largos.

Ocorre que dentro deste percentual existem as lojas que simplesmente não alavancam seu negócio. Não encontram seu potencial, essa estremecida termina afetando quem gere o negócio e, muitas vezes, o jogo de cintura necessário para reverter o jogo não vem e então ouvimos a afirmação; não consigo vender…

Alguns pontos são necessários para quem quer vender online. São necessários cuidados e análises contínuas, a adequação no mercado deve ser quase que instantânea e isso significa está constantemente em busca de informações e diferenciais para o seu negócio.

Pensando nessa necessidade (e nessa pergunta recorrente), decidimos listar alguns erros comuns em quem inicia as vendas na internet.
Claro que não existe uma fórmula secreta para o sucesso, mas sabemos que a disciplina, o erro e a persistência são passos comuns em que se aventura no novo.
É preciso estar sempre atento e aprendendo constantemente, mesmo com as falhas.
Vamos conhecer algumas?

Nada de plano de negócio.

Pois é, tal qual uma loja física é necessário que, antes de abrir um negócio, haja um plano para conduzi-lo.
Na internet isso funciona de forma diferente. Além da análise do produto que você vende, dentro do mercado online, é necessário fazer uma análise do seu consumidor.

É ai que entram as personas. Segundo a Wikipédia personas são personagens fictícios criados para representar os diferentes tipos de usuário dentro de um alvo demográfico.
Ou seja, são eles que representam seu público e com base neles o marketing monta estratégias para atingir outras pessoas que possuam as mesmas características da sua persona.

O frete é importante?

Sim, muito.O frete tem um fator decisivo na compra online. Muitos consumidores deixam de comprar o produto desejado caso considerem o valor do frete abusivo ou acima do que ele considera justo.

Não consigo vender

Campanhas com frete grátis ou frete fixo costumam agradar. Cidades mais distantes geralmente necessitam de transportadoras.
É importante avaliar os contratos das empresas que oferecem frete e encaixá-los dentro do seu tipo de negócio.

O site é como a sua sala de estar

Algumas pessoas pesquisam o mercado, o frete, mas pecam na montagem da loja virtual.
O design tem que ser atraente e dar credibilidade ao negócio. Um design simples e conceitual transmite a mensagem que você quer passar e não confunde o seu público.

Procure se afastar da tela do computador e feche levemente os olhos, a visão (ao olhar para seu site) deve ser limpa e bem dividida.
Não use muitos banners, procure disponibilizar as informações de maneira organizada. Tenha, atualizado, os guias de como comprar, a política de frete e de troca, as informações sobre a loja virtual e os valores que vocês querem transparecer.

Selos de segurança, como o do e-Bit também ajudam na credibilidade. Para obtê-los basta entrar em contato com a empresa que o fornece e preencher os requisitos que eles determinam.

Um site seguro, um atendimento humano

O seu site tem que transmitir confiança. Infelizmente, algumas pessoas usam de má fé na internet, e por isso é preciso mostrar ao seu cliente que sua loja virtual é um ambiente seguro, principalmente nas informações que são repassadas nele (tais como número de cartão de crédito, conta bancária e etc).

Esteja disponível quando o cliente precisar, muitas vezes é você quem vai dar o “empurrãozinho” que falta para o seu cliente decidir pela sua loja virtual.
Procure enaltecer as qualidades e os diferenciais do seu produto e explicar (de forma clara e objetiva).

Observe que são algumas atitudes simples que fazem diferença.
Lembre-se sempre que, em um ambiente onde a demanda é alta, o que traz destaque são os detalhes, os diferenciais. Aposte neles. 🙂

Conheça o nosso site institucional e os serviços que oferecemos. Clique aqui para ser direcionado.

O futuro do varejo não é o que você pensa.

O futuro do varejo não é o que você pensa, o título dessa postagem pode parecer estranho, mas retrata bem a situação.

Recentemente, estive em uma conferência de Comércio Eletrônico e, um dos palestrantes (Erick Melo, da WebJump) falou justamente sobre isto.

O futuro do varejo não é o que você pensa

O futuro do varejo não é o que você pensa

Decidi trazer o tema para esta postagem, por entender que ele pode ajudar a visualizar melhor o cenário atual do comércio eletrônico X varejo.

Que cenário?

A vinda da internet trouxe um novo perfil de consumidor.
A velocidade dos dados é também pedida na vida real, sendo assim os clientes estão cada vez mais exigentes e impacientes.

Essa exigência também surge, com a possibilidade de disseminar a informação. Ou seja, um cliente que não foi bem atendido, pode fazer uma péssima campanha para seu negócio.

Um outro fato que chama atenção é: para tornar a experiência do seu cliente inesquecível, é importante que você o conheça a fundo. Que entenda seus gostos e seus hábitos, para daí montar um perfil ideal.

Além de ser algo interessante para o seu negócio é, também, uma comodidade para seu cliente.

Veja, a seguir, como é a experiência do usuário e de que forma isto afeta suas vendas.

Qual a experiência do usuário?

Segundo Erick, esta experiência segue o caminho: experiência usuário > tecnologia > dados ecommerce.
O que entendemos? Em um primeiro momento o usuário tem uma experiência com o site, ou seja: acessa e navega nele.
A partir deste momento, entra em ação a tecnologia ao reconhecer o usuário e captar seus gostos através da sua navegação na página, por exemplo.

A partir deste ponto surgem as propagandas patrocinadas, e algumas empresas se valem disso para criar o cenário ideal para que o seu cliente encontre aquilo que deseja. As chances de haver uma venda são bem altas.

Intra Position

A Intraposition é uma empresa situada em Israel.
Ela auxilia em posicionamento e navegação de loja. Isto ocorre porque há um sistema que mede a temperatura das prateleiras do mercado, de acordo com a temperatura corporal. Ele consegue mostrar, via infravermelho, os locais por onde os clientes mais caminham e quais prateleiras são mais visadas.

O Intra Position em ação.
Crédito Imagem: Erick Melo.

Com estas informações, é possível que mercados, por exemplo, vendam espaço interno. E tudo isto é gerado através de dados colhidos.

O Impacto Social

Em um futuro mais próximo, máquinas conseguirão obter dados e saber do comportamento de cada indivíduo utilizando, apenas, a leitura facial.
Com este tipo de leitura, é possível colher informações, tais como idade, gostos e etc… e, a partir daí, criar anúncios e apresentá-los de acordo com suas preferências.

A tecnologia facial cria um sistema de identificação que tageia cada usuário associando a ele suas escolhas, compras e seu comportamento de um modo geral na internet. A partir dai cria-se um padrão psicológico e de consumo.

Com a ajuda da tecnologia, será possível vender de forma mais direcionada e certeira. É esperar.

Já conhece o nosso site? Fazemos marketing digital clique aqui e seja direcionado.

Fale Conosco